26 de nov de 2012

Algumas sugestões de atividades para sala e intervenção - DISORTOGRAFIA


Algumas sugestões de atividades para sala e intervenção - DISORTOGRAFIA


Durante o processo de aprendizagem da escrita é imprescindível que o professor faça uma sondagem para conhecer o nível de escrita em que o aluno se encontra e para acompanhar seu progresso.

A sondagem não somente é utilizada em sala de aula, mas também no consultório, pois auxilia no diagnóstico das dificuldades da lectoescrita.

Segue abaixo a tabela de sondagem e algumas orientações.


Como utilizar a tabela
Cada nível corresponde a uma cor, assim temos:
1-Nível pré-silábico em vermelho
2-Nível silábico sem valor sonoro em verde3-Nível silábico com valor sonoro em azul
4-Nível silábico-alfabético em roxo
5-Nível alfabético em laranja

A sondagem inicial é a primeira, depois temos uma sondagem no final de cada bimestre (para utilizar no consultório podem ser feitas algumas alterações).
Caso o aluno, na primeira sondagem, esteja no nível pré-silábico, então será preenchido o número 1 na cor vermelha, no local da sondagem inicial. Caso este ou outro aluno esteja no nível silábico com valor sonoro, no 1º bimestre, será preenchido o número 3 na cor azul. E assim por diante.
Ao verificar que a tabela apresenta muitas cores vermelhas fica claro que o professor deverá intervir e fazer um trabalho de recuperação contínua para os alunos que apresentam maiores dificuldades.
Dicas para fazer sondagem
  • A sondagem deve ser realizada de forma individual ou em pequenos grupos.
  • As palavras NÃO podem ser ditadas de forma silabada (me-ni-no); a pronúncia deve ser feita de forma normal.
  • Após ditar a palavra, deve-se tomar a leitura. Não é correto ditar toda a lista e no final tomar a leitura.
  • Evitar palavras com sílabas ou vogais contíguas: exemplo – ba-na-na, a-ba-ca-te.
  • A leitura do aluno precisa ser pautada na sílaba; ele precisa identificar a pauta sonora, onde começa e onda termina a sílaba.
  • Somente o aluno pré-silábico realiza a leitura global, pois ainda não consegue identificar a pauta sonora da palavra.
  • Após ditar as palavras é importante ditar uma frase significativa.
  • Começar o ditado com palavras polissílabas, trissílabas, dissílabas e monossílabas.
  • Outra dica interessante é que o ditado tenha um tema, conforme os próximos exemplos.
    Ditado
    Tema: frutas
    Melancia
    Pêssego
    Figo
    Noz
    Carolina comeu doce de pêssego.

    Ditado
    Tema: material escolar
    Apontador
    Caneta
    Lápis
    Giz
    Ganhei uma caneta azul.

    Ditado
    Tema: animais
    Hipopótamo
    Galinha
    Pato

    O pato está na lagoa.
Atividades para escrita e desenvolvimento cognitivo.






Fonte: Livro - Português -primeiros passos – alfabetização
Autoras: Adelina da Silva Braga
Inês Silva Dias dos Santos e Ivete Raffa
Livro: Aprender a compreender
Autoras: Carmen Silva Micheletti
Estela Marques
Quézia Bombonatto Silva
Thais H. F. Pellicciotti


FONTE: http://aprendizagemafetiva.blogspot.com.br

DISORTOGRAFIA


Disortografia

Disortografia
A Disortografia caracteriza-se por troca de fonemas na escrita, junção (aglutinação) ou separação indevidas das palavras, confusão de sílabas, omissões de letras e inversões. Além disso, dificuldades em perceber as sinalizações gráficas como parágrafos, acentuação e pontuação.
Devido à essas dificuldades o indivíduo prepara textos reduzidos e apresenta desinteresse para a escrita. A Disortografia não compromete o traçado ou a grafia.
Um sujeito é disortográfico quando comete um grande número de erros. Até a 2ª série é comum que as crianças façam confusões ortográficas porque a relação com sons e palavras impressas ainda não estão dominadas por completo.
Causa
Considera-se que 90% das disortografias têm como causa um atraso de linguagem ou atraso global de desenvolvimento.
Tratamento
Depois de uma avaliação fonoaudiológica o profissional irá traçar um plano de tratamento para que a disortografia não se torne uma vilã na aprendizagem.
O fonoaudiólogo poderá desenvolver um atendimento preventivo antes mesmo do terceiro ano (antiga 2ª série).
Quanto antes o tratamento com um fonoaudiólogo melhor será o prognóstico!
Veja um caso clínico de um paciente com 9 anos, no 4º ano:
Disortografia Caso Exemplo
Exemplo de disortografia com aglutinações, omissões e separação indevida de palavra.
Após 3 meses de tratamento:
Disortografia Caso Exemplo
Escrita sem aglutinações e omissões.
 FONTE:http://www.centrodefonoaudiologia.com/disortografia-dificuldade-de-aprendizagem/

Distúrbios de Aprendizagem

Loading...

Psicopedagogia

Loading...

Dislexia

Loading...

TDAH

Loading...

AEE

Loading...

Língua Portuguesa

Loading...

Cérebro

Loading...

Minha lista de blogs

Revista INCLUSIVE

div id=Inclusive-Widget>