16 de jan de 2013

NEUROPSICOPEDAGOGIA - fique por dentro!

Neuropsicopedagogia

Open Mind
Como já havia mencionado em outra postagem, tudo que se relacione a Neuropsicopedagogia, venho trazendo para cá para que conste como referencial de pesquisa para acadêmicos desta área. Portanto, na revista InformAção, de setembro de 2012, editada pela IERGS (Instituto Educacional do Rio Grande do Sul), página 2,  consta uma nota de Destaque sobre a Neuropsicopedagogia, a qual transcrevo abaixo:
     Em meio aos debates sobre a educação inclusiva, um profissional vem sendo cada vez mais procurado por instituições que objetivam oferecer educação de qualidade para crianças e adolescentes com alguma deficiência cognitiva: o neuropsicopedagogo. Aliado a psicopedagogia à neurociência, este especialista possui conhecimento amplo das bases neurológicas do aprendizado e do comportamento, facilitando assim seu estímulo nos diversos contextos e, consequentemente, o sucesso no processo educacional.

    A especialização em neuropsicopedagogia é destinada a profissionais que desejam ampliar as dificuldades de aprendizagem, buscando assim o entendimento da complexidade do ato de aprender. Segundo Fernanda Garcia Perez, especialista em neuropsicologia, a neurociência permite investigar as funções do cérebro: linguagem, atenção, memória de curto prazo, memória de longo prazo, condutas motoras, funções executivas, cognição, além dos aspectos emocionais. “Ela fornece dados objetivos e formula hipóteses sobre o funcionamento cognitivo, atuando como auxiliar na tomada de decisões, fornecendo dados que contribuam para as escolhas de tratamento”, afirma ela.

     O neuropsicopedagogo é o profissional mais capacitado para intervir e reabilitar as funções neurofuncionais alteradas, para que assim seja alcançado o sucesso no processo educacional, conforme Fernanda. Com seu conhecimento em relação às dimensões neurológicas, psicológicas e cognitivas do sujeito, bem como os aspectos afetivos e culturais em que está inserido, esse especialista é capaz de desenvolver um trabalho de acompanhamento mais eficaz, proporcionando assim um processo de aprendizagem eficiente.

     Compreender o cérebro da criança ou do adolescente e e seus processos cognitivos colabora na intervenção, quando necessária, no desenvolvimento linguístico, psicomotor, psíquico e cognitivo destes, estabelecendo, dessa maneira, alternativas no processo educativo para que se tornem possíveis a inclusão e o aprendizagem das crianças com deficiência. Contudo, é importante ressaltar que essa inclusão só acontece quando há um trabalho conjunto de toda uma equipe multidisciplinar, formada por profissionais que atuam coletivamente para que esses processo aconteça de forma tranquila e segura, respeitando, desse modo, as limitações de cada indivíduo.

NEUROPSICOPEDAGOGIA


             NEUROPSICOPEDAGOGIA

A Neuropsicopedagogia é uma área de conhecimento e pesquisa na atuação interdisciplinar, voltada para os processos de ensino-aprendizagem, que integra avaliação e a intervenção em situações que envolvam esses processos no plano individual ou coletivo. Ela ainda é considerada uma práxis (prática fundamentada em referenciais teóricos) e não uma ciência. Entende-se como: “Área de estudo das neurociências na qual objetiva a análise dos processos cognitivos, potencialidades pessoais e perfil sócio – econômico, a fim de construir indicadores formais para a intervenção clínica frente aos educandos padrões com baixo desempenho e que apresentam disfunções neurais devido a lesão neurológica de origem genética, congênita ou adquirida.” (ROTTA Apud COSENZA:2010)

ATUAÇÃO DO NEUROPSICOPEDAGOGO

Além das atribuições do psicopedagogo de estudar as características da aprendizagem humana, processos de “ensinagem” e a origem das alterações na aprendizagem promovendo a identificação, diagnóstico, reabilitação e prevenção frente às dificuldades e distúrbios das aprendizagens, o neuropsicopedagogo, mediante seus saberes e conhecimentos em neurociências, poderá elaborar pareceres de encaminhamento para neurologistas, pediatras e psiquiatras, auxiliando-os na identificação diagnóstica, mediante o quadro de sintomas e queixa principal.

 Na Unidade Escolar, irá atuar com os pais mediante a explanação clínica do distúrbio e as condutas a serem desenvolvidas, com intuito de realizar um processo sistêmico de tratamento e intervenção, colocando a família como principal agente prognóstico do sucesso da intervenção. Sempre num trabalho interdisciplinar com o Orientador Educacional. Caso a escola possua esse profissional.

BASES PARA O SURGIMENTO DA NEUROPSICOPEDAGOGIA:

• Lei 3124/97 – Senado Federal.
• Certificado de especialista com registro no MEC – CNE;
• Estar devidamente registrado na ABPp;

Fontes consultadas:
KRUG, Clarice Luiz. Neuropsicopedagogia e Contextos de Atuação. Novo Hamburgo: CENSUPEG, 2011. Aula expositiva do Curso de Neuropsicopedagogia Clínica e Educação Inclusiva.
 

Neuropsicopedagogia (informações)

Ana Lúcia Hennemann-Maio/2012
          Nos últimos cem anos, nossa visão de como ocorrem os processos cerebrais vem sofrendo muitas mudanças. Novas concepções de estímulo-aprendizagem vem sendo reformuladas, diante às contribuições das Neurociências. Diferentes campos de conhecimentos perceberam a necessidade de agregar os estudos das neurociências aos seus. Sendo assim, começam a surgir interesse dos mais diversos campos da ciência, tais como: neurobiologia, neurofisiologia, neuroquímica, neuropediatria, neuropsicologia, neuropedagogia e também a Neuropsicopedagogia.
             Para ter a especialização em “neuro” em qualquer área, faz-se necessária jornadas de muito estudo, pesquisa, conhecimento das funções cerebrais. Entretanto, cabe ressaltar que existem neurocientistas clínicos e experimentais, que conforme Bear (2008, p.14)
[...] a pesquisa em Neurociências (e os neurocientistas) pode ser dividida em dois tipos: clínicas e experimentais. Pesquisa clínica é basicamente conduzida por médicos. As principais especialidades dedicadas ao sistema nervoso humano são a neurologia, a psiquiatria, a neurocirurgia e  a neuropatologia (Tabela 1.1). Muitos dos que conduzem as pesquisas clínicas  continuam a tradição de Broca, tentando deduzir as funções das várias regiões do encéfalo a partir dos efeitos comportamentais das lesões. Outros conduzem estudos para verificar os riscos e os benefícios de novos tipos de tratamento.
Fonte: Neurociências: Desvendando o Sistema Nervoso - BEAR.2008

Porém, Bear (2008) ainda apresenta outra tabela com alguns tipos de especialistas que se aliaram aos conhecimentos neurocientíficos, sendo considerados assim, Neurocientistas Experimentais, onde os Neuropsicopedagogos podem se enquadrar.

Fonte: Neurociências: Desvendando o Sistema Nervoso - BEAR.2008

          Numa visão mais abrangente, pode-se dizer que Neuropsicopedagogia é uma ciência que estuda o sistema nervoso e sua atuação no comportamento humano, tendo como enfoque a aprendizagem. A Neuropsicopedagogia procura fazer inter-relações entre os estudos das neurociências com os conhecimentos da psicologia cognitiva e da pedagogia.
         A Neuropsicopedagogia tem sua base na Psicopedagogia, porém conforme Krug (2011) além das atribuições do psicopedagogo de estudar as características da aprendizagem humana, processos de ensinagem e a origem das alterações na aprendizagem promovendo a identificação, diagnóstico, reabilitação e prevenção frente às dificuldades e distúrbios das aprendizagens, o neuropsicopedagogo, mediante seus saberes e conhecimentos em neurociências, poderá elaborar pareceres de encaminhamento para neurologistas, pediatras e psiquiatras, auxiliando-os na identificação diagnóstica, mediante o quadro de sintomas e queixa principal.
        A Neuropsicopedagogia tem as mesmas bases de regulamentação da Psicopedagogia, pautadas nos seguintes documentos:
• Lei 3124/97 – Senado Federal, que pode ser acompanhada a sua tramitação pelo site da Câmara dos Deputados;
        Também as atividades e atribuições do profissional em Psicopedagogia, servem de base para os da Neuropsicopedagogia, conforme dispõe o art. 4º do projeto de lei 3512 de 2008, que regulamenta a função de psicopedagogo:
v intervenção psicopedagógica, que visa a solução dos problemas de aprendizagem;
v realização de diagnóstico psicopedagógico;
v utilização de métodos, técnicas e instrumentos psicopedagógicos para a pesquisa, prevenção, avaliação e intervenção relacionadas à aprendizagem;
v consultoria e assessoria psicopedagógicas;
v apoio psicopedagógico;
v supervisão em trabalhos teóricos e práticos em psicopedagogia;
v orientação, coordenação e supervisão dos cursos de psicopedagogia;
v direção de serviços de psicopedagogia;
v projeção, direção ou realização de pesquisas psicopedagógicas.
           Contudo, os Neuropsicopedagogos possuem um conhecimento melhor estruturado sobre a função cerebral, entendendo a forma como esse cérebro recebe, seleciona, transforma, memoriza, arquiva, processa e elabora todas as sensações captadas pelos diversos elementos sensores para, a partir desse entendimento, poder adaptar as metodologias e técnicas educacionais a todas as pessoas e principalmente, aquelas com características cognitivas e emocionais diferenciadas. Diante desses saberes, os Neuropsicopedagogos poderão desempenhar funções como:
·                     Rever aspectos do desenvolvimento humano a partir das novas descobertas das neurociências;
·                     Enumerar fatores que afetam negativa e positivamente o desenvolvimento neuropsicológico;
·                     Reconhecer aspectos envolvidos nos processos de memória e atenção relativos à aprendizagem;
·                     Compreender os problemas referentes ao Déficit de Atenção e Hiperatividade, transtornos de aprendizagem para que se realizem encaminhamentos pedagógicos pertinentes a cada caso;
·                     Relacionar memória e desenvolvimento destacando recursos que favorecem a aprendizagem;
·                     Assessoramento técnico frente a instituições voltadas ao trabalho de Educação Especial Inclusiva, Atendimento Clínico ou, em mais recente proposta, no apoio ao trabalho com a Saúde Mental.
            De acordo com o Centro-Sul Brasileiro de Pesquisa e Extensão – CENSUPEG, considerada uma das instituições pioneiras no Brasil em ofertar o Curso de Pós-Graduação com Especialização em Neuropsicopedagogia, os profissionais desta área são qualificados para:
• Compreender o papel do cérebro do ser humano em relação aos processos neurocognitivos na aplicação de estratégias pedagógicas nos diferentes espaços da escola, cuja eficiência científica é comprovada pela literatura, que potencializarão o processo de aprendizagem.
• Intervir no desenvolvimento da linguagem, neuropsicomotor, psíquico e cognitivo do indivíduo.
• Adquirir clareza política e pedagógica sobre as questões educacionais e capacidade de interferir no estabelecimento de novas alternativas neuropsicopedagógicas e encaminhamentos no processo educativo.
• Compreender e analisar o aspecto da inclusão de forma sistêmica, abrangendo educandos com dificuldades de aprendizagem e sujeitos em risco social.
         Entretanto, ainda se faz necessária a regulamentação da Neuropsicopedagogia, seguindo assim o exemplo do Conselho Regional de Psicologia, o qual regulamentou o Especialista em Neuropsicologia, porém no site da Associação Brasileira de Psicopedagogia há informações de quais os procedimentos legais para abrir um consultório voltado a prática psicopedagógica.
Fontes de Consulta:
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSICOPEDAGOGIA. Estatuto da associação Brasileira de Psicopedagogia- ABPp. São Paulo, [2012] Disponível online em: http://www.abpprs.com.br/cms/files/estatuto.pdf  Acesso em 18/04/2012
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSICOPEDAGOGIA. Faq- Mercado de Trabalho e Atuação do Psicopedagogo. São Paulo, [2012] Disponível online em: http://www.abpp.com.br/faq_aspectos.htm Acesso em 18/04/2012
BEAR, F. Mark. CONNORS, Barry. Neurociências: Desvendando o Sistema Nervoso. 3.ed. Porto Alegre, ARTMED, 2008.
BRASIL. Pós-Graduação. Disponível online em: http://portal.mec.gov.br/index.php?Itemid=349&id=387&option=com_content&view=article Acesso em 19/04/2012
CAMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei 3.124/97. Disponível em http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=19139
Acesso em 22/04/2012
CAMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei 3.512/08. Disponível em http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=398499
Acesso em 22/04/2012
CENTRO SUL-BRASILEIRO DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO - CENSUPEG. Neuropsicopedagogia Clínica. Disponível online em: http://www.censupeg.com.br/censupeg_site/index.php/onde-atuamos/sc/89-neuropsicopedagogia-clinica Acesso em 10/05/2012
CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA. Atuação do Psicólogo especialista em Neuropsicologia. Disponível online em http://www.crppr.org.br/download/277.pdf Acesso em 25/04/2012
KRUG, Clarice L. Neuropsicopedagogia e Contextos de Atuação. Novo Hamburgo: CENSUPEG, 2011. Aula expositiva do Curso de Neuropsicopedagogia Clínica e Educação Inclusiva.
RACY, Andrea. VIEIRA, Patrícia. Entrevista com: Dr Marcos Tomanik Mercadante. Associação Brasileira de Psicopedagogia. Disponível online em: http://www.abpp.com.br/entrevistas/06.htm Acesso em 12/05/201
Resolução Nº 02  de 03/2004. Disponível em http://www.jusbrasil.com.br/diarios/286687/dou-secao-3-05-03-2004-pg-120 Acesso em 25/04/2012
fonte: http://neuropsicopedagogianasaladeaula.blogspot.com.br

7 comentários:

  1. ola.

    sou Edna Adami, sou graduada em Pedagogia (Educação Especial),, Psicopedagoga e cursando Neuropsicopedagogia

    adorei seu blog .. informações preciosas, esclarecedoras , para que as pessoas possam compreender claramente o papel do Neuropsicopedagogo, o qual, é tão importante quanto dos outros profissionais...

    parabéns..
    abs

    ResponderExcluir
  2. SOU ESTUDANTE DE PEDAGOGIA, E AMPLO O CAMPO PARA NEUROPSICOPEDAGOGIA E QUAL O SALARIO APROXIMADO? OBRIGADO

    ResponderExcluir
  3. MARLY 12de outubro 2013
    Amei seu blog,me ajudou a entender melhor,pois terminei a graduação em pedagogia e pretendo fazer uma pós relacionada com o assunto.
    parabéns..

    ResponderExcluir
  4. Boa noite Giane!
    Meu nome é Fernanda e sou professora da educação básica.
    Acabei de concluir a pós em Psicopedagogia Clínica e Institucional. O meu desejo nesse momento é fazer um mestrado, mas é quase impossível. Dado a distancias dos cursos oferecidos no Brasil e o valor das mensalidades.Já que moro em MG e as federais l nos oferta poucas vagas. Então encontrei durante minhas buscas na net a pós em Neuropsicopedagogia pelo INEPE ead.Vc acha necessária na minha formação nesse momento, já que o meu desejo é abrir um pequeno consultório? E-mail para contato fdemelobrandao@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  5. Meu nome é Viviane sou formada em Educação nas Organizações, foco em empresas, porém estou em dúvida em fazer a pós em Psicopedagogia Clínica e Intitucional ou Neuropsicopedagogia, poderia me auxiliar?!

    Abraço.

    Viviane - Canoas - RS

    ResponderExcluir
  6. Excelente, estamos trabalhando em nossa região sobre esse assunto e o texto foi muito esclarecedor, compartilhei.

    ResponderExcluir
  7. Confiram o site www.neuropsicopedagogiabrasilia.com e saiba mais sobre Sociedade Brasileira de Neuropsicopedagogia

    ResponderExcluir

Distúrbios de Aprendizagem

Loading...

Psicopedagogia

Loading...

Dislexia

Loading...

TDAH

Loading...

AEE

Loading...

Língua Portuguesa

Loading...

Cérebro

Loading...

Minha lista de blogs

Revista INCLUSIVE

div id=Inclusive-Widget>