21 de jul de 2012

PROJETO PÉ-DE-MOLEQUE ( AEE - Multidisciplinar)

Projeto:

PÉ-DE-MOLEQUE

Equipe de elaboração
·           Aucione Maria Santos Vieira
·           Cláudia Liandra Sá Brito de Freitas
·           Giane Fiorenzano   
·           Sandra Helena
- O Projeto terá envolvimento da equipe multidisciplinar do  CEMESPI.
* Professora Responsável: Giane Fiorenzano

Itajaí, 2011


 “O Pé-de-moleque é um doce original da culinária brasileira que surgiu por volta do século XVI com a chegada da cana-de-açúcar à capitania de São Vicente, trazida pelo navegador Martin Afonso de Sousa[...].
Acredita-se em duas versões para a origem do nome deste doce. A primeira delas diz que a própria aparência do doce depois de pronto, tem semelhança coma cor e calos dos pés dos moleques que viviam correndo descalços pelas ruas de terra batida. Já a outra versão, fala das cozinheiras das fazendas que eram assediadas pelas crianças da vizinhança que suplicavam por um pouco de doce enquanto as cozinheiras mexiam seus tachos no preparo da massa. Nestes momentos elas diziam a eles:--- Pede, moleque! [...]
Retirado do site: HTTP://www.barracaamarela.com.br/historia-pe-de-moleque
O Projeto será iniciado com a distribuição do doce pé-de-moleque e uma conversa sobre o projeto e os seus objetivos.

OBJETIVO GERAL
Promover a valorização da pluralidade do patrimônio sócio-cultural brasileiro, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crença, de sexo, de etnia ou características individuais, sociais e de gênero.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
§  Permitir aos educandos a apreensão de conhecimentos acerca da diversidade étno-cultural, revelando as origens das brincadeiras do nosso cotidiano.
§  Organizar momentos de reflexões culturais referentes ao preconceito, por meio de atuação interdisciplinar.




JUSTIFICATIVA

Conselho Nacional de Educação, pela Resolução CP/CNE nº 1, de 17 de junho de 2004 (DOU nº 118, 22/06/2004, Seção 1, p. 11), instituiu diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana, a serem observadas pelas instituições, em todos os níveis e ensino, por instituições que desenvolvem programas de formação inicial e continuada de professores. A resolução tem por base o Parecer CP/CNE nº 3, de 10 de março de 2004, homologado pelo Ministro da Educação, em 19 de maio de 2004.
A educação das relações étnico-raciais tem por objetivo a divulgação e produção de conhecimentos, bem como de atitudes, posturas e valores que eduquem cidadãos quanto à pluralidade étnico-racial, tornando-os capazes de interagir e de negociar objetivos comuns que garantam, a todos, respeito aos direitos legais e valorização de identidade, na busca da consolidação da democracia brasileira.
            De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais, a educação para a cidadania requer, portanto que questões sociais sejam apresentadas para a aprendizagem e a reflexão dos alunos. Para viver democraticamente em uma sociedade plural é preciso respeitar os diferentes grupos e culturas que a constituem. Em seu tema transversal “Pluralidade Cultural”, afirma que a sociedade brasileira é formada não só por diferentes etnias, como por imigrantes de diferentes países. Além disso, as imigrações colocam em contato com grupos diferenciados. Sabe-se que as regiões brasileiras têm características culturais bastante diversas e a convivência entre grupos diferenciados nos planos social e cultural,  muitas vezes é marcada pelo preconceito e pela discriminação. O grande desafio da escola é investir na superação da discriminação e dar a conhecer a riqueza representada pela diversidade étno-cultural que compõe o patrimônio sócio-cultural brasileiro, valorizando a trajetória particular dos grupos que compõe a sociedade. Nesse sentido, a escola deve ser local de diálogo, de aprendera conviver, vivenciando a própria cultura e respeitando as diferentes formas de expressão cultural.
            Com bases nas leis, orientações e resoluções,  justifica-se o projeto “Pé-de-Moleque”, sendo um projeto que visa, por meio de brincadeiras, trabalhar as diferentes etnias-culturais que formam o povo da nossa região.
CRONOGRAMA
De junho a  novembro
AVALIAÇÃO
            A avaliação será feita no decorrer do projeto, visando a participação de toda equipe, quais os conhecimentos adquiridos e mudanças de atitudes e/ou posturas.
§  Estratégias de Avaliação
- Observação da participação e envolvimento coletivo.
- Desenhos
- Produção Escrita
- Seminários

EQUIPE DE ELABORAÇÃO
·                    Aucione Maria Santos Vieira
·                    Cláudia Liandra Sá Brito de Freitas
·                    Giane Fiorenzano   
·                    Sandra Helena




Observações
- O Projeto terá envolvimento da equipe multidisciplinar do  CEMESPI, sendo que cada mês uma ou mais áreas serão responsáveis pela  pesquisa, estudo, seleção e aplicação das brincadeiras, bem como a atualização do painel expositivo.
- O Projeto poderá ser ampliado em cada atendimento com a utilização de recursos como a música, os contos, etc.

REFERÊNCIAS
- Parâmetros Curriculares Nacionais
- Sites
   - acessado em 10 de junho às 9h20.
-  acessado em 10 de junho às 10h30.
- acessado em 10 de junho às 10h50.
- Leis  Federais
·        Lei nº 9.394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação
·        Lei nº 10.639/93 – Altera a Lei nº 9.394/96, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, e dá outras providências.
·        Lei 11.645/08 (Lei Ordinária) – Altera a Lei 9.394/96, modificada pela Lei nº 10.639/03, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. 
- Leis Municipais
·        Lei 2830/93 – Institui a inclusão do conteúdo história afro-brasileira nos currículos das escolas municipais, e dá outras providências.
·        Lei nº 3761/02 altera a lei 2830/93 – Passando como um programa multidisciplinar o conteúdo Afro, destinando aos estudantes da Educação Infantil e Ensino Fundamental.
·        Lei nº 4.008/03 – inclui no calendário municipal o dia 20 dezembro como o Dia da Consciência Negra e vem instituir um conjunto de ações e medidas que propõe corrigir injustiças, eliminar discriminações, promover a inclusão social e a cidadania para todos dentro do Sistema Educacional Brasileiro.
·        Lei 5.589/10  altera a lei 2830/93










































































































































































































































































































































Nenhum comentário:

Postar um comentário

Distúrbios de Aprendizagem

Loading...

Psicopedagogia

Loading...

Dislexia

Loading...

TDAH

Loading...

AEE

Loading...

Língua Portuguesa

Loading...

Cérebro

Loading...

Minha lista de blogs

Revista INCLUSIVE

div id=Inclusive-Widget>